Lendas de Portugal/Legends of Portugal

 

No tempo em que o Algarve estava sob o domínio dos mouros, um certo príncipe casou com uma princesa que veio das terras frias e sombrias do norte da Europa. Apaixonado, o príncipe levou a delicada princesa para viver nas terras quentes e soalheiras do Algarve.
A princesa causou grande espanto entre as gentes algarvias. Todos admiravam a brancura da sua pele e os fios dourados do seu cabelo. O seu sorriso e gestos delicados conquistaram o coração das gentes do sul, agora muito orgulhosas da sua nova princesa.
Todas as manhãs a princesa passeava pelos campos entre os pomares e os riachos, cirandava feliz entre o casario caiado de branco e as janelas bordadas de azul. Apreciava a cor das laranjeiras e das romãs coradas de vermelho. Apreciava a doçura dos figos, o sabor dos medronhos e as sombras das grandes copas das alfarrobeiras. Apreciava o voo do açor, dos rouxinóis e das cotovias. Parecia feliz naquele reino quente e distante, pois estava muito apaixonada pelo príncipe de pele morena que cheirava a terras quentes e a especiarias doces.
Apesar da sua paixão, quando o frio caía sobre os campos e despia os montes e as árvores, ela sofria muito porque se recordava da sua terra distante com os campos brancos, cobertos de gelo e neve. Lembrava-se dos mantos de neve que cobriam as terras do norte e ficava triste e saudosa. Quando vinha o inverno, do seu rosto alvo corriam lágrimas desconsoladas.
Um dia, o príncipe encontrou-a num pranto e perguntou-lhe por que razão chorava assim tão intensamente. Ela confessou que tinha muitas saudades da sua terra natal e dos campos brancos cobertos de neve. Confessou que tinha saudades das árvores enfeitadas de branco e que ficava triste por vê-las despidas com os seu magros ramos à mercê da chuva e do vento.
O príncipe, decidido a trazer alegria ao coração da sua princesa, reuniu todos os seus homens e mandou plantar campos de amendoeiras por todo o seu reino para que quando florissem, as suas brancas flores dessem à princesa a ilusão da neve. Assim, talvez ela ficasse curada da sua saudade e voltasse a ser feliz.
Então, na Primavera seguinte, um certa manhã quando a tristonha princesa acordou e se aproximou da janela do seu quarto, viu que tinha acontecido um milagre! As amendoeiras estavam todas cobertas de flor e os campos estavam brancos e alegres.

Quando os raios de sol poisavam nas suas flores pareciam neve a brilhar.
Ano após ano, primavera após primavera, o rei mouro e a princesa nórdica esperavam ansiosos pelo maravilhoso milagre das amendoeiras em flor. E foi assim que começaram a aparecer as amendoeiras em flor nos campos algarvios…

 

Advertisements